Ocorreu um erro neste gadget

terça-feira, abril 22

Eu's

Eu's

Já não sei quantos sou.
Todo dia descubro um
Pedaço desconhecido de mim.
Sou vários sendo só um

Só sei do que não gosto,
E não gosto de quase nada,
Entretanto, tudo me agrada.
Sou uma contradição ambulante.

Tenho todos os medos
Dentro de cada "eu" descoberto.
Onde está o meu "eu" corajoso?
E, inseguro? Magina.

Sinto extrema ausência de atenção.
Demonstrações públicas de
Afeto me comovem!
A carência está em tudo.

Sou tudo e todos.
Você pode conhecer
Alguns de mim,
Mas, duvido que todos.

Quando pensar que conheceis -me
Descubro um novo "eu" e surpreendo-te.
Não sou tão certinho quanto pensam..
Porém, não sou tão errado como acho que sou.

terça-feira, abril 15

=D

Tenho que escolher o que detesto – ou o sonho, que a minha inteligência odeia, ou a acção, que a minha sensibilidade repugna; ou a acção, para que não nasci, ou o sonho, para que ninguém nasceu.

Resulta que, como detesto ambos, não escolho nenhum; mas, como hei-de, em certa ocasião, ou sonhar ou agir, misturo uma coisa com outra.

Bernardo Soares

sexta-feira, abril 11

Meu coração no seu coração ....

Meu coração no seu coração

Conforta meu coração, conforta com teu pequeno coração
Me faz viver novamente, e me ensina...
Me ensina uma forma simples para amar.
Venha, transforme a minha vida.

Me mostra a verdadeira cara do amor,
Me faz levitar, me faz suspirar, me faz te amar.
Quero provar o gostinho da felicidade,
Quero do teu lado descobrir o que a vida tem de bom.

Quero ser a tua paz, quero ter o teu amor.
Permita-me carregar o teu coração no meu coração.
Deixa eu te provar que pode valer a pena,
Venha ser a minha guria, só minha.

Quero poder acordar com vc ao meu lado
Admirar a beleza do seu sorriso e
Desse seu olhar de mulher sonhadora,
De uma mulher que tem sede de amor.

Com você eu sei que daria certo
E omu humilde mundinho tornaria-se completo.
Você seria capaz de simplificar minha coplexidade
Com o seu jeito meigo e doce de ser.

Eu quero conquistar o mundo.
Queria aproveitar o máximo o que a vida pode oferecer-me.
Me faz enxergar que eu sou capaz
E leve-me ao caminho da felicidade.

Quero me perder em você
E aprender que amar não tem que ser sofrer.
Só de te olhar nos olhos percebo
Que encontrei um novo motivo pra viver.

Com você consigo ser eu mesmo, e
Posso acreditar na tua sinceridade
Por vcoê eu me arriscaria de verdade
E juntos alcançaremos a perfeição.

Venha desvendar os mistérios do amos comigo.
Me faz viver, me ressucita.
Conforta o meu triste e desconsolado coração,
Conforta-o com o teu pequeno, grande e belo coração.

O Poeta Aprendiz...

O Poeta Aprendiz
Vinicius de Moraes
Composição: Vinicius de Moraes / Toquinho

Ele era um menino
Valente e caprino
Um pequeno infante
Sadio e grimpante
Anos tinha dez
E asas nos pés
Com chumbo e bodoque
Era plic e ploc
O olhar verde gaio
Parecia um raio
Para tangerina
Pião ou menina
Seu corpo moreno
Vivia correndo
Pulava no escuro
Não importa que muro
Saltava de anjo
Melhor que marmanjo
E dava o mergulho
Sem fazer barulho
Em bola de meia
Jogando de meia-direita ou de ponta
Passava da conta
De tanto driblar

Amava era amar
Amava Leonor
Menina de cor
Amava as criadas
Varrendo as escadas
Amava as gurias
Da rua, vadias
Amava suas primas
Com beijos e rimas
Amava suas tias
De peles macias
Amava as artistas
Das cine-revistas
Amava a mulher
A mais não poder
Por isso fazia
Seu grão de poesia
E achava bonita
A palavra escrita
Por isso sofria
De melancolia
Sonhando o poeta
Que quem sabe um dia
Poderia ser

quinta-feira, abril 10

Tu !

Tu !

Pensas que és algum juiz?
Reaveja teus pontos de vista
Ou serás obrigado a matar-me.
Apunhala-me!

Sois tão comum como todos os outros,
Porém tu és mais hipócrita, mais maléfico.
Julga-se mesmo tão superior?
Estrangula-me!

Achas que és assim que cativarás a todos?
Assuma que tns medo de não possuir autoridade
Admita a enorme insegurança que abala-te.
Assassina-me!

És mesmo tão medíocre assim?
Não vês que tu és extrremamente previcível?
Realmente és digno de pena.
Despreze-me!

Julga-me porque não conheceis-me
Pensas que causa-me medo?
Confesse teu desejo de igualar-se a mim.
Odeie-me!

Criaste uma enorme utopia
Perca-se-á na tua insana ambiçao.
Mata-me ou devoro-te!
Mata-me!

quarta-feira, abril 9

O Mundo é Um Moinho

O Mundo É Um Moinho
Cazuza
Composição: Cartola

Ainda é cedo amor
Mal começaste a conhecer a vida
Já anuncias a hora da partida
Sem saber mesmo o rumo que irás tomar

Preste atenção querida
Embora saiba que estás resolvida
Em cada esquina cai um pouco a tua vida
Em pouco tempo não serás mais o que és

Ouça-me bem amor
Preste atenção, o mundo é um moinho
Vai triturar teus sonhos tão mesquinhos
Vai reduzir as ilusões à pó.

Preste atenção querida
De cada amor tu herdarás só o cinismo
Quando notares estás a beira do abismo
Abismo que cavaste com teus pés


terça-feira, abril 8

Só de Sacanagem !

Só de Sacanagem
Elisa Lucinda
Composição: Elisa Lucinda

Meu coração está aos pulos!
Quantas vezes minha esperança será posta à prova?
Por quantas provas terá ela que passar?
Tudo isso que está aí no ar, malas, cuecas que voam
entupidas de dinheiro, do meu dinheiro, do nosso dinheiro que reservamos
duramente para educar os meninos mais pobres que nós,
para cuidar gratuitamente da saúde deles e dos seus
pais, esse dinheiro viaja na bagagem da impunidade e
eu não posso mais.
Quantas vezes, meu amigo, meu rapaz, minha confiança
vai ser posta à prova? Quantas vezes minha esperança
vai esperar no cais?
É certo que tempos difíceis existem para aperfeiçoar o
aprendiz, mas não é certo que a mentira dos maus
brasileiros venha quebrar no nosso nariz.
Meu coração está no escuro, a luz é simples, regada ao
conselho simples de meu pai, minha mãe, minha avó e
dos justos que os precederam: "Não roubarás", "Devolva
o lápis do coleguinha",
" Esse apontador não é seu, minha filhinha".
Ao invés disso, tanta coisa nojenta e torpe tenho tido
que escutar.
Até habeas corpus preventivo, coisa da qual nunca
tinha visto falar e sobre a qual minha pobre lógica
ainda insiste: esse é o tipo de benefício que só ao
culpado interessará.
Pois bem, se mexeram comigo, com a velha e fiel fé do
meu povo sofrido, então agora eu vou sacanear:
mais honesta ainda vou ficar.
Só de sacanagem!
Dirão: "Deixa de ser boba, desde Cabral que aqui todo
o mundo rouba" e eu vou dizer: Não importa, será esse
o meu carnaval, vou confiar mais e outra vez. Eu, meu
irmão, meu filho e meus amigos, vamos pagar limpo a
quem a gente deve e receber limpo do nosso freguês.
Com o tempo a gente consegue ser livre, ético e o
escambau.
Dirão: "É inútil, todo o mundo aqui é corrupto, desde
o primeiro homem que veio de Portugal".
Eu direi: Não admito, minha esperança é imortal.
Eu repito, ouviram? IMORTAL!
Sei que não dá para mudar o começo mas, se a gente
quiser, vai dá para mudar o final!

segunda-feira, abril 7




Apenas Uma Canção de Amor

Enquanto a chuva molha o meu rosto
Ela esconde a minha lágrima
Que insiste em encontrar o chão.

Enquanto o frio toma o meu corpo
Eu aprendi sem a gramática
Que saudade não tem tradução.

Eu preciso tanto de você
O seu amor é o que me faz crescer
E conhece como a própria mão
Cada medo do meu coração.

Hoje pensei tanto em nós dois
Que não podia deixar pra depois
E eu vim aqui só pra dizer:
-Que eu sou louco por você

...

"O essencial é invisível para os olhos."